Anotações a Caminho


Exposição individual de Paulo Gaiad

no projeto Memória em Trânsito do Museu Victor Meirelles


Patag_nia_1_20x1_50m_2015_baixa.jpg

Paulo Gaiad, Patagônia, 2015, técnica mista, 120,0 x 150,0 cm, Coleção do artista


Anotações de sonhos e lembranças, verdadeiras ou não. Caminhos de voltas, de idas, resgate de memórias que insistem em se perder e ao mesmo tempo tentam se reconstruir. Um processo de junta e cola, fotografa e escreve, desenha. Sempre uma operação de se remontar, de se reencontrar, num turbilhão de apagamentos.

Esse é o processo que levou o artista Paulo Gaiad à exposição “Anotações a Caminho”, que abre no dia 28 de outubro de 2015, às 19h, no Museu Victor Meirelles. Ao longo das 15 obras presentes na mostra, encontram-se vestígios de suas viagens por cidades e países tão distintos quanto Amsterdã, Delft, Galícia, Gravatal, Heidelberg, Istria, Macedônia e Patagônia.

De acordo com Gaiad, esses trabalhos iniciaram em 1993, com “Relato de uma viagem não realizada”, a obra mais antiga que participa da exposição: “É uma única série de trabalhos que não cessa, uma busca quase desesperada de tentar me montar, me entender, não me perder, num processo de esquecimentos que me persegue, que me engole. Escrever caminhos para ter pra onde voltar ou onde ficar”.

No dia da abertura, às 18h, acontecerá a já tradicional “Conversa com o Artista”, quando Paulo Gaiad conversará com o público sobre sua obra e trajetória.


Seminário “A Poética da Viagem”


A programação da exposição inclui o Seminário “A Poética da Viagem: Paulo Gaiad”, que ocorrerá no dia 17 de novembro, às 19h, no Museu Victor Meirelles. Na ocasião, a conversa acontecerá entorno do artista Paulo Gaiad, do professor Luis Felipe Soares, do Curso de Cinema da Universidade Federal de Santa Catarina, e o jornalista Fifo Lima, autor do livro “Paulo Gaiad: vida e arte”, publicado pela Tempo Editorial, em 2010.


Projeto Memória em Trânsito em sua 3ª edição


A mostra faz parte do projeto Memória em trânsito que propõe estudar e divulgar as obras dos artistas catarinenses pertencentes ao acervo do Museu Victor Meirelles. O objetivo é ampliar o entendimento da poética desses artistas, estimulando a elaboração de outros discursos bem como produzindo e atualizando a documentação museológica referente ao artista na instituição, incluindo a gravação de depoimento em áudio e vídeo bem como a respectiva transcrição. Esta é a terceira edição do projeto, que já contou, no ano de 2015, com as exposições “Entorno”, de Fernando Lindote, e “Ter as costas livres”, de Julia Amaral.


Trajetória

 

Desde 1981, Paulo Gaiad vive e trabalha em Florianópolis, SC. Em 1972 iniciou o curso de Arquitetura e Urbanismo na Universidade de Brasília. Em 1974 ganhou bolsa de estudos para a Universidade de Oslo, Noruega. Ao voltar trabalhou como colaborador junto ao arquiteto Vilanova Artigas, em São Paulo. Em 1989 ganhou o prêmio Cubo de Prata por equipe, da Bienal Internacional de Arquitetura de Buenos Aires. Em 1990 recebeu prêmio do 47º Salão Paranaense e em 1994, bolsa de multiplicadores culturais do Instituto Goethe, viajando para a Alemanha onde fez sua primeira individual fora do país. Retornou à Alemanha para desenvolver duas séries de trabalhos. Nessa época sua obra já está referenciada pelas questões da memória, onde textos autorais e observações da vivência roteirizam e se tornam base para o desenvolvimento das grandes séries de trabalhos que passam a surgir. Em 1996 realizou a exposição “Passagens”, no Museu Victor Meirelles. No mesmo ano, foi lançado o vídeo “Paulo Gaiad, matéria da consciência” pela Universidade do Estado de Santa Catarina e anexado ao acervo da Fundação Iochpe. Em 1997, recebeu o prêmio Cultura Viva. Em 1998, o prêmio no VIº Salão Victor Meirelles. Em 2001 participou do vídeo “O museu e a escola”, MASC/Fundação Vitae. Em 2004, ganhou o prêmio de viagem à Paris. Transita entre a pintura, o desenho, a  fotografia, o objeto, a instalação, o vídeo e a literatura.


Serviço:

O quê: Exposição Anotações a Caminho, de Paulo Gaiad;

Quando: Abertura no dia 28 de outubro, às 19h; às 18h, conversa com a artista; Visitações até 12 de dezembro de 2015, de terça a sexta-feira, das 10 às 18h e aos sábados das 10 às 14h.

Onde: Sala de exposições temporárias do Museu Victor Meirelles (Rua Victor Meirelles, 59, Centro, Florianópolis, SC)

Quanto: gratuito

Mais informações: 48 3222-0692 / mvm@museus.gov.br